Imóveis Residenciais: Quais as mudanças na compra de imóveis na pandemia?

Publicado em 26/08/2020 por Marciane - Urbana

No artigo de hoje, vamos falar as principais mudanças referentes ao processo de compra e venda de Imóveis Residenciais principalmente com a pandemia pelo coronavírus.


Que a pandemia referente ao coronavírus abalou toda a economia do mundo não é novidade para ninguém, todos os setores foram afetados de alguma maneira e a forma de trabalho e convivência também.


Por isso resolvemos trazer algumas tendências, que se tornaram prioritárias durante a pandemia.


Imóvel próprio se destaca

O sonho da casa própria continua sendo importante na vida de todos os brasileiros, mas devido a rotina do dia a dia e algumas prioridades financeiras esse sonho acaba sendo substituído muitas vezes pela moradia de aluguel.


Bastante popular nas classes mais altas e jovens, acabou tornando-se uma tendência cultural em vez de comprar coisas, alugá-las. Por que comprar um filme ou um CD, se existem plataformas musicais e Streaming? Por que pagar parcelas de financiamento a perder de vista, se é possível com o mesmo valor realizar investimentos financeiros? E assim começa a mudança de visão.


Com a pandemia até essa visão vem se modificando, primeiro que devido ao impacto na economia a Taxa Selic diminuiu e com isso os juros dos financiamentos imobiliários também, ou seja agora a um estímulo maior para a compra de Imóveis Residenciais.


E em segundo momento, o apelo para a segurança deste vírus. Residências próprias transmitem mais segurança, mais cuidado e aumenta o nível de isolamento.


Compra online

Antigamente seria impossível pensar que o processo de compra de um imóvel pela internet poderia se concretizar, mas dentro das medidas de isolamento social em que vivemos atualmente a digitalização acabou se tornando um processo vital dentro da compra.


Hoje vem se tornando comum que imobiliárias e construtoras consigam fechar negócios ou mesmo que investidores consigam realizar investimentos online sem problema. Inclusive grandes construtoras vem fechando parcerias com bancos, para assinatura de contratos via videoconferência. Uma forma encontrada de passar mais segurança na negociação de compra e venda.


Como a visita de imóveis presencialmente acabou diminuindo drasticamente pelas medidas de isolamento social, o poder da internet ganha mais força em todos os processos para aquisição de Imóveis Residenciais.


E falando em desburocratização

Todos sabem que quanto mais complexo for a negociação, maior será o número de documentos necessários e com eles suas assinaturas. Com a intervenção da internet o processo de aquisição de imóveis se tornou muito mais rápido, inúmeros cartórios estão aceitando assinaturas eletrônicas e outros itens para acelerar os trâmites.


Mudança na forma de trabalho e procura por Imóveis maiores

O conceito de Home Office já vinha sendo trabalhado e estava em expansão ao longo dos anos, a pandemia acabou acelerando o processo de adaptação do mercado e especialistas estimam que mesmo com a completa reabertura da economia muitas pessoas ainda vão continuar trabalhando dessa forma.


E com isso a procura por imóveis mais amplos acabou-se tornando maior, com a digitalização e a desburocratização no processo de compra e venda a procura por imóveis com maior espaço e a disponibilidade de um cômodo extra para montar em escritório, se tornou muito maior. Inclusive espaços com áreas externas, para dar aquela sensação de descanso e relaxamento.



Imóveis longe de grandes centros

Isso é um outro ponto interessante, caso as empresas continuarem evoluindo para adotar o Home Office como uma medida de trabalho, não haverá necessidade de grandes deslocamentos até os escritórios. 


Com isso a preferência por bairros ou cidades um pouco mais afastadas dos centros metropolitanos, principalmente durante a crise da economia, com imóveis amplos em cidades mais afastadas ou no interior serão uma grande aposta.


Decoração

Se as pessoas estão buscando se adaptar ao trabalho via home office, buscando imóveis mais afastados e com a sensação de maior segurança, o que as impede de também participar da própria decoração?


Inclusive aqui blog, temos vários artigos que falam sobre decoração e alguns de como fazer você mesmo e isso é interessante. Com a demanda de ser dono de sua própria rotina que o isolamento social vem trazendo, as pessoas por medo do contato optam por entregas e elas mesmo fazerem toda a decoração.


Portanto imóveis que permitam essa brincadeira criativa também são muito procurados, principalmente por famílias, e claro que não podemos descartar imóveis já decorados e mobiliados devido a facilidade e conforto.